18 abril 2018

Lugar ao Sul ... outra vez!

Voltamos a esta casa alentejana (sita na Falagueira), desta vez mais numerosos e com grandes novidades ... tivemos a  presença surpresa do Luís Santos Silva (que andava fugido há um bom par de anos) e o regresso às lides do também Luís Arteiro, o que é um bom sinal.


O regresso do repórter de alto nível, de seu nome Arteiro, possibilita uma muito completa reportagem sobre este repasto ... quanto a mim, a medalha de ouro tem que ser entregue aos torresmos, os célebres "redenhos", e aos peixinhos da horta que estavam muitissimo bons. Os pezinhos de coentrada, desta vez, não me pareceram excepcionais ... faltavam-lhe pés e uma pitada de sal. As iscas de cebolada estavam razoáveis (e não mais do que isso). O vinho acompanhante, da casa e alentejano, bebeu-se muito bem. O melão final, não sendo uma maravilha, desempenhou bem o seu papel. Esqueci-me dos xiripitis e não houve uma alma caridosa que me trouxesse o assunto à "lembradura" ... uma falha de alto calibre pois se bem me lembro, na nossa primeira visita, o xiripiti  era de grande categoria!


(Para ampliar as imagens basta "clicar" sobre elas)

O "meeting" manhoso terminou com uma visita ao Fernando Pessoa que assentou arraiais num jardim muito perto do "Lugar ao Sul".

Nota: para ampliar as imagens basta "clicar" sobre elas.

25 março 2018

Sueco


Hoje era o dia dos seus anos, faria 75. Ei-lo aqui, com fato de "manhoso", num dos nossos almoços.
Um abração, Sueco ... até sempre! 

21 março 2018

A Adega da Bairrada

Uma acção "manhosa" que saiu "manhosa" de mais.


Esta Adega fica em Alvalade, perto da Rio de Janeiro, mas mais valia que estivesse lá mais para norte. Foi com uma certa expectativa que pedimos "choquinhos à Algarvia" e "secretos de porco" ... os primeiros chegaram sofrivelmente confeccionados (para ser simpático) e meio frios e os segundos, após uma espera bem excessiva, razoáveis mas nada que nos leve a repetir a dose. Havia notícia de que os pastéis de nata eram muito bons mas uma vez postos à prova revelaram-se medíocres e com sinais de terem passado uma temporada no frigorífico. O vinho da casa, um palmelão tinto, não foi o pior da refeição. Enfim, uma jornada para esquecer ... não se pode ganhar sempre!

28 fevereiro 2018

Pérola da Mourisca


As circunstâncias, que esperamos virem a ser ultrapassadas rapidamente, não permitiram a presença de vários "manhosos" nesta sortida a Setúbal (mais propriamente a Pontes, Alto da Guerra) à Pérola da Mourisca. Embora longe acho que valeu a pena a deslocação ... começou-se com uns pimentos recheados de sapateira, umas vieiras interessantes, seguindo-se umas ostras ao vapor, puntilhitas bem apaladads, um choco frito (ou não estivéssemos em Setúbal) e terminando em beleza com umas ameijoas à Bulhão Pato. Tudo isto acompanhado de um belíssimo branco da casa (Ermelinda Freitas). O ponto final foi um melão, classificado de razoável.
Uma saída de Lisboa que merece ser encarada como eventual alternativa no futuro.

25 janeiro 2018

Barcabela

Foi esta cervejaria/restaurante (fica entre o Intendente e o Martim Moniz) o cenário para a primeira actuação em 2018 do Grupo Recreativo/Excursionista "Os Manhosos".

(Para ampliar, "clicar" na imagem)

Com um convidado especial (o AJE) comeu-se um choco frito com arroz de pimentos e um coelho frito à maneira. A medalha de ouro foi entregue ao arroz de pimentos que estava muitíssimo bom ... tanto que também acompanhou o coelho frito. A comezaina teve como companhia líquida um tinto do Douro (Assobio de seu nome) que já nos tinha sido apresentado anteriormente sempre com bons resultados. Terminou-se a festança com maçã assada, mousse de chocolate e um surpreendentemente bom melão. Não tendo sido a primeira vez que embarcamos nesta Barca parece-me que também não será a última!

PS: A pedido de várias famílias informa-se que o primeiro almoço manhoso (ainda sem esta designação) foi na Aldeia do Meco no restaurante Celmar, também conhecido como Mário Rui, em Maio de 2004 (já lá vão quase 14 aninhos).


31 dezembro 2017

Ano Novo ... vida nova!


Onde quer que passem ... que seja bem! Um bom 2018 é o que eu desejo.

23 dezembro 2017

É NATAL


Prós Manhosos e famílias!!!

06 dezembro 2017

Lugar ao Sul


Foi sob o olhar atento de Fernando Pessoa que se realizou a última festividade "manhosa" de 2017 ... infelizmente a audiência foi bem reduzida (por uma razão ou por outra houve vários impedimentos). O restaurante, sugestão do "manhoso Pedro TS, foi o "Lugar ao Sul", uma casa alentejana situada na Falagueira, Venda-Nova, Amadora, que proporcionou uma bela e boa refeição típica.


A comezaina começou por uns magníficos e deliciosos torresmos tradicionais, também conhecidos como "redenhos" (não têm nada a ver com aquilo a que estamos habituados pelas bandas lisboetas) e uma tigela de peixinhos da horta de altíssimo nível. Continuou-se com uns pezinhos de coentrada (muito saborosos e bem confeccionados) e uma grelhada mista de porco preto que encerrou o repasto com muita galhardia. O vinho da casa, um tinto alentejano, acompanhou muito bem a refeição que terminou com um razoável melão e um "xiripiti" branco de alto lá com ele. 
Considerando ser esta a última acção "manhosa" do ano iniciaram-se as conversações para o recomeço em 2018 tendo-se decidido, desde já, que será na segunda quinzena de Janeiro em lugar proposto pelo "manhoso" Alfredo (a seguir a Setúbal a caminho de Alcácer do Sal). Oportunamente serão divulgados os detalhes. Espera-se que os impedimentos registados sejam rápidamente ultrapassados, permitindo uma afluência mais completa na próxima actividade.

16 novembro 2017

Na Mouraria

Hoje, "Os Manhosos" resolveram voltar ao "Velho Eurico" em plena Mouraria lisboeta.


Com várias falhas de fogo (3) a reunião incluiu um convidado extraordinário, o ARC. O almoço propriamente dito, infelizmente, não correspondeu às expectativas e parece ter encerrado um capítulo nesta casa. De facto o "cozido à portuguesa" estava desenxabido e sem graça e não havia "iscas" para alternativa. Um relativo fiasco salvo pelo sempre interessante e bem disposto convívio entre a manhosada presente que é o mais importante nestas ocasiões.  

11 outubro 2017

No "Zé Pinto"

Perdido nos baldios de Calhariz de Benfica encontra-se este restaurante que o manhoso SH descobriu e apontou para mais uma sessão gastronómica deste grupo excursionista.


O repasto consistiu de pernil de porco e coelho de tomatada que se deixaram enfardar sem grandes loas e/ou queixumes. O grupo manhoso apresentou-se coeso e completo, o que já não acontecia há bastante tempo ... esperemos que este facto seja de bom augúrio.


As imagens resultam, mais uma vez, da proficiência do manhoso Arteiro que continua a mostrar a sua habilidade nesta matéria.

Nota: Para ampliar basta "clicar" nas imagens.

01 agosto 2017

Um almoço alargado

Os "Manhosos" houveram por bem alargar este repasto a uma série de velhos camaradas, alguns dos quais não se viam há um bom par de anos.

(Para ampliar, "clicar" na imagem)

Uma boa ideia que resultou muito bem tendo dado origem a um animado encontro, embora a instalação sonora, a cargo de um dos convivas, tenha excedido o número de decibéis considerado aceitável para tão provectas idades.
O cenário foi, mais uma vez, "O Zé do Cozido" e a paparoca constou de uma "feijoada de chocos" e de "carne de porco à alentejana", terminando com um melão de qualidade muito aceitável. O líquido acompanhante foi um tinto de seu nome ... olha varreu-se-me completamente. Só sei que era tinto e muito bom. Se alguém tiver a amabilidade de esclarecer esteja à vontade.

29 junho 2017

Apeadeiro

(Para ampliar, "clicar" sobre a imagem)

Foi neste Apeadeiro, ao Campo Pequeno, que hoje teve lugar mais uma celebração manhosa. Os "comeres" envolvidos foram uns lombinhos de porco grelhados, um bacalhau com broa, um robalo grelhado e umas iscas à Portuguesa que (todos eles) se apresentaram em forma aceitável. Foram acompanhados de um tinto da casa muito razoável. Os finalmente incluiram um melão sofrível e uns cafezinhos bem acolitados por uns "xiripitis" (caseiros e amarelos) que escorregaram muito bem. Continuam a registar-se faltas de comparência, embora justificadas ... esperemos que os impedimentos se resolvam da melhor maneira.

02 junho 2017

Almoço pantagruélico n' "O Zé do Cozido"


Foi, de facto, um almoçarão de 1ª classe. Os manhosos bateram-se nada mais, nada menos do que com uns saborosos carapauzinhos de escabeche, uma bela salada de búzios, outra (também muito boa) de polvo e duas tábuas de presunto pata-negra (este de qualidade e sabor excepcional, talvez um pouquinho "salgado"). Tudo isto como princípio de refeição e já acompanhado de um tinto de Peso da Régua, "Assobio" de seu nome e que fez jus aos acepipes. Seguiu-se uma massada de peixe muito bem apaladada, tendo-se acabado o festim com um leitão da bairrada de muita categoria ... acabado é como quem diz pois ainda tivemos direito a sobremesas variadas: arroz doce, meloa, maçã assada e figos (estes foram os únicos a destoar da qualidade geral). O "Assobio" manteve-se galhardamente até ao fim. Ponto final com os cafés ... só agora reparei que houve uma falha, os "xiripitis" foram esquecidos (uma pena)!
De salientar também a ausência (embora justificada, de lamentar) de dois "manhosos" e a presença de um convidado especial, o Alfredo E. Para terminar em completa beleza os dois Alfredos decidiram arcar com a "dolorosa" e oferecer esta bela refeição aos restantes manhosos que muito agradeceram. Para surpresa geral todos se conseguiram levantar da mesa, sem ajudas, e abandonar este "Zé do Cozido" que se revelou, mais uma vez, como uma boa aposta!!!

02 maio 2017

Regresso ao Dom Feijão


Este regresso, um pouco inesperado, teve resultados satisfatórios. Comeu-se um caril de gambas e uns panadinhos de porco com esparguete ... estava tudo bom e foi com agrado que estes sólidos foram acompanhados por um Quinta dos Aciprestes tinto. Terminou-se a festança com papaia e manga, antes dos tradicionais cafés. Houve duas faltas e um regresso às actividades do Pedro TS que perdeu uns quilinhos depois de um estágio prolongado face aos seus problemitas nos ombros e, ultimamente, nos "rinzes" ... mas está recuperado. Viu-se pela sua actuação à mesa, ao nível dos seus melhores tempos!

25 abril 2017

25 de Abril

Um dia que não se esquece!!!

16 março 2017

Os Courenses


Hoje viemos parar aqui como recurso de última hora pois o inicialmente previsto, lá para os lados do Bairro Alto, teve uma inesperada falha de fogo.


Com o Pedro TS fora de combate (soubemos que já foi operado e que tudo correu bem), com o Mr Milk desaparecido em parte incerta (agora e no futuro próximo) juntaram-se cinco Manhosos que se banquetearam com um razoável cozido à portuguesa e uns filetes de peixe galo (receberam nota positiva), tudo acompanhado por um "Guadiana" tinto que se deixou beber com agrado. A máquina fotográfica do Arteiro é que deve ter exagerado um pouco no tintol, o que teve como resultado uma foto ligeiramente cambaleante. E pronto, foi mais uma sessão gastronómica "manhosa" ... desejamos uma rápida e total recuperação ao Pedro TS.

02 março 2017

Cegonha


A cegonha passou por aqui e entregou um pacote de 3,200 Kg à Carina e ao Luís. É o Duarte, a quem se desejam as boas-vindas a este mundo. Muitos parabéns para os pais do rebento e para os "manhosos" dos avós, Bernardete e Alfredo. Felicidades é o que este blogue deseja a todos eles.

26 janeiro 2017

O Eurico

Também conhecida como "O velho Eurico" esta casa de pasto escondida na Mouraria, no Largo de S. Cristóvão. "Os Manhosos", reforçados com o PM "Pastor" e desfalcados do "Mr. Milk", escolheram este restaurante para inaugurar as actividades em 2017 (diga-se que a responsabilidade da escolha recai no Marquês que nos vai habituando a uma tarefa bem consistente e sem falhas neste capítulo). A este propósito parece chegada a altura dos outros "manhosos" mostrarem um pouco de iniciativa e audácia e começarem a propor eventos e outros locais de actividade gastronómica. 


Comeu-se muito bem e barato (qualidades que nem sempre andam juntas) ... começamos com umas iscas  com elas que estavam magníficas e acabou-se com um cozido à portuguesa, que embora não deslumbrasse, não estava mau. O vinho carrascão acompanhou muito bem a parte sólida. Sobremesas variadas, café e um belo xiripiti encerraram o evento.


De realçar a extrema simpatia e cordialidade de todo o pessoal do restaurante, com grande destaque para a D. Carolina, a Lina para os amigos, a merecer foto individualizada (com o seu sorriso espontâneo e contagiante).


Finalmente informa-se que a manhosada, face à proximidade da Clínica São Cristóvão, aproveitou a oportunidade para uma visita geriátrica ... salvou-se o autor da foto que marcou consulta para outra altura.


30 dezembro 2016

FELIZ ANO NOVO

2017

Ora aqui está uma boa sugestão para "Os Manhosos" ... começar bem o próximo ano!

FELIZ ANO NOVO 

23 dezembro 2016

É NATAL


Não se podia deixar passar esta quadra sem agredir "Os Manhosos" com votos de Boas Festas ... e que passem esta quadra, seja onde fôr mas com saúde, saúde e mais saúde!

12 dezembro 2016

A "Rosa da Rua"

Fica este restaurante em pleno Bairro Alto, na Rua da Rosa. Esta casa teve a honra de servir de palco ao último almoço manhoso deste ano da graça de 2016. A refeição, que teve uma afluência razoável (apenas se baldou o Vitorin), consistiu do "buffet" oferecido e que se pode considerar bem simpático ... entre outras iguarias podemos realçar as saladas (bem apetrechadas), as lulas recheadas, as almôndegas (com a originalidade de serem planas), as bochechas de bácoro e o cabrito. Enfim, um belo almoço regado com tinto da casa (Dão) e terminado com abacaxi docinho. A "Rosa da Rua", sugestão do Marquês, teve uma apreciação muito positiva!


03 novembro 2016

Quitanda

Com duas ausências anunciadas e mais duas de última hora realizou-se, hoje, o aprazado almoço manhoso na Quitanda, ali a Paço d'Arcos em frente à Escola Naútica. Foram apenas 3 resistentes que, quais gatos-pingados, refeiçoaram o seguinte: pescadinhas e petingas fritas com açorda e sargo grelhado. Bebeu-se um verde branco da casa que não estava mau. Houve um dos resistentes que não dispensou o xiripiti final ... os outros apenas o cheiraram (adivinhem quem foi quem).


30 setembro 2016

O antes e o depois (da "rentrée")

De notar que a patuscada de ontem foi precedida por uma visita turística às Salinas Naturais de Rio Maior, no final da qual se tomou uma ginjinha para abrir o apetite.

(Para ampliar, "clicar" nas imagens)

O "depois" foi no palácio de Verão do manhoso Vitorin, em Arrouquelas, onde a manhosa Bernardete tinha preparado uma magnífica torta para acompanhar os cafés e os variados xiripitis.


A verdadeira "rentrée" no Agulha

Foi ontem que, finalmente, se efectuou a "rentrée" manhosa ... foi no Agulha, um restaurante em Freiria que serviu de palco ao grande acontecimento (verdade se diga que foi sugestão do manhoso Vitorin). Foi também ocasião para apresentar uma nova aquisição, o Zé Henriques.

(Para ampliar, "clicar" nas imagens)

Tal como acima indicados e devidamente registados foram consumidos vários comestíveis a começar com umas belíssimas azeitonas e um creme amanteigado com picles. Seguiram-se umas entraditas, a saber: farinheira com mel e cogumelos salteados. Quanto a mim este foi um ponto alto do repasto, com especial menção para a farinheira (medalha de ouro). Os entretantos consistiram em lulinhas fritas (muito saborosas e bem apaladadas, embora pudessem estar mais macias), em picanha tropical e lagartinhos ( não desmereceram). Os finalmentes estiveram a cargo de um bom gelado de natas, regado com frutos vermelhos ou manga ... o único "lagarto" presente, por acaso a mais recente aquisição manhosa, teve direito a um kiwi. Toda esta comezaina foi acompanhada por uma pomada da casa, com origem na Lapa. 


A equipa do Agulha, um trio de alta categoria:


Para terminar, todo o pessoal envolvido nesta actividade foi devidamente fotografado pelo repórter de serviço, o manhoso Arteiro.



02 setembro 2016

Cantinho do Mercado

Foi ontem, ali para os lados do Lumiar que aconteceu mais um almoço manhoso, digamos que foi uma "mini-rentrée" (face às faltas registadas) no Cantinho do Mercado.


Comeu-se um belíssimo arroz de peixe (sem dúvida uma medalha do ouro), solto e muito bem apaladado, seguido de uns pézinhos de coentrada mas sem coentrada e, para finalizar, umas iscas de cebolada que ficaram na cauda do pelotão. O tinto cartaxão, bem carregado, que acompanhou os "comeres" foi apreciado como aceitável mais. O resto não teve história a não ser um xiripiti final, branquinho, que selou a reunião manhosa.

30 junho 2016

"O Passaporte" em Montelavar

Montelavar fica ali ao pé de Sintra, um pouco a norte, e é vila desde Junho de 2009. Sob a batuta do "manhoso" Arteiro ali fomos dirigidos para engurgitar um pato com laranja.



Pois digo-vos que saiu muito boa a encomenda ... papou-se um magnífico exemplo da iguaria acima mencionada (e retratada), acompanhado de umas batatinhas absolutamente divinais e de um arroz que não ficava a dever nada a ninguém. O líquido acompanhante, um Borba tinto, escorregou muito bem. De assinalar também que as cerejas quase finais foram das melhores que encontrei este ano que está a ser tão ingrato para elas. A terminar, e a acompanhar os cafés, um "xiripiti" amarelinho  (e caseiro) de altíssima categoria. Enfim, mais uma gloriosa jornada "manhosa" que não teve a presença do "manhoso" Pedro TS, o qual parece estava ocupado em actividade inadiável e relativa a negociações diplomáticas com elementos do sexo oposto (esperemos que nesta área tudo esteja a correr bem e com qualidade similar à da nossa refeição).

Nota: As imagens são da autoria do "manhoso" Arteiro.

13 maio 2016

PREGOEIRO DE CARNIDE




Relatório:
"Repasto sem a totalidade do brilho, por duas ausências de peso comunicadas à chegada.
Justificação: caruncho ao ataque, porém, sem grandes motivos para alarme. Rápida recuperação aos ausentes.
Reuniram-se os presentes no Pregoeiro de Carnide.
Restaurante simpático e de ambiente familiar.
Como entrada comeram-se umas chamuças e queijos frescos.
O prato de peixe foi um bacalhau bem assado de boa lasca, acompanhado de batatas a murro e grelos cozidos.
O prato de carne foi entrecosto de novilho estufado e passado pelo forno, muito bem temperado e saboroso e acompanhado por arroz e batatas fritas.
O néctar que fez parte da refeição foi um tinto EA de bom paladar. Não houve “giripitis” dada a ausência dos viciados.
Talvez mereça a pena repetir. 
Para todos um abraço 

Arteiro"

20 abril 2016

No Toledo

Fica no Lumiar e foi uma estreia para os "manhosos". Ei-los lá dentro:


E depois do almoçarão:


O repasto consistiu de um "arroz de garoupa" e de "secretos de porco preto" acompanhados de um magnífico "esparregado". Foi tudo consumido com muito agrado, juntamente com um tinto "EA" que ajudou muito bem à festa. De assinalar o regresso do "manhoso" Mr. Milk que se portou razoavelmente.
Segue-se uma colectânea de imagens que descrevem o acontecimento:

(As imagens podem ser ampliadas se "clicarem" sobre elas.)

Para quem ainda ficou com dúvidas aqui vai uma curta metragem da autoria do já famoso realizador Arteiro ... apenas de lamentar a duração do filme que não dá grande oportunidade aos actores de mostrar os seus talentos e dotes cinematográficos:

07 abril 2016

A Adega das Gravatas


Difícil de encontrar esta Adega ... fica ali para os lados de Carnide, perto do Largo do Campo da Bola. Já tinhamos falhado a cerimónia de posse do PR (coincidente com o último almoço manhoso) e agora também não pudemos comparecer ao primeiro Conselho de Estado, ainda por cima com a presença do homem do BCE (tinhamos umas coisinhas para lhe dizer relacionadas com as massas com que já entrámos para o BPN, BPP, BES e BANIF). Preferimos discutir com um "Arroz de garoupa com gambas" que esteve a bom nível, acompanhado por um leve branquinho e bem frio que satisfez plenamente. Resta assinalar a falha de fogo do "manhoso" Vitorin que se baldou (talvez  tenha ido ao Conselho de Estado, quem sabe?).

09 março 2016

A Valenciana ... olé!!!


Mais uma jornada "manhosa" teve lugar no dia de hoje, o que impediu que estes senhores estivessem presentes em S. Bento abrilhantando a tomada de posse. Nesta primeira visita à Valenciana degustou-se um arroz de línguas de bacalhau que não estava nada mau, seguido de uns rins de porco grelhados que fizeram o seu papel sem grande protagonismo. A comezaina foi acompanhada de um tinto de Pegões que escorregou razoavelmente. Jornada positiva, na sua globalidade, sendo de destacar a boa relação "qualidade/preço".